COP26: milhares protestam pelo mundo para exigir ‘justiça climática’

DANI LEAL-OLIVAS / AFP

Segundo os organizadores em Glasgow, mais de 100.000 pessoas responderam à convocação, enquanto as autoridades escocesas não divulgaram um número oficial.

Sob uma chuva torrencial e ventos violentos, milhares de manifestantes marcharam em Glasgow, no sábado (6), para pedir “justiça climática”, em um dia de mobilização mundial para pressionar os políticos reunidos na COP26 a agirem contra o aquecimento global.

“Centenas de milhares em todo o mundo … enviaram um sinal claro para os que estão no poder”, tuitou a ativista sueca Greta Thunberg, que não participou neste sábado, mas liderou a juventude na sexta.

A COP26 reúne milhares de representantes de quase 200 países em Glasgow até o dia 12 de novembro, com a responsabilidade de impor novas metas contra as mudanças climáticas.

A polícia disse ter “retirado, de forma segura, manifestantes” que bloqueavam uma ponte, o único incidente em uma marcha totalmente pacífica e festiva, apesar das más condições climáticas.

Os tambores soaram seguidos pelas gaitas dos escoceses, muitos vestidos com suas tradicional saia xadrez, apesar do frio. Cartazes encharcados exigiam “coloque o planeta na frente do dinheiro agora”.

“O que nós queremos? Justiça climática! Quando queremos? Agora!”, gritavam os ativistas, quando a coluna iniciou seu trajeto.

“O povo, unido, jamais será vencido”, cantavam em diferentes idiomas, neste protesto que reuniu dos jovens que já haviam manifestado sua frustração nas ruas na sexta-feira, ao movimento de desobediência civil Extinction Rebellion (XR), conhecido por suas ações ousadas que paralisam cidades e costumam acabar em inúmeras prisões.

“Esta é a COP26. Tivemos 25 antes, e todas foram um fracasso”, disse à AFP Lilly Henderson, de 17 anos, membro do grupo Sextas-Feiras pelo Futuro, retomando as palavras que sua fundadora, Greta Thunberg, lançou à multidão na véspera.

“Sou do Brasil e lá as coisas pioraram bastante nos últimos anos”, disse Carlos Nunes, um pesquisador de 35 anos, que se declarou “um pouco cético” sobre o resultado da COP26.

Em um ato na sede da conferência, o ator britânico Idris Elba expressou sua solidariedade com os manifestantes.

“A mudança climáticá é real e vamos acabar pagando por isso”, afirmou, acrescentando que os humanos “são uma espécie recente, mas conseguiu destruir de forma irreversível uma parte do planeta”.

Jayne Whitehead, uma paisagista de 54 anos, compareceu à passeata junto com suas duas filhas.

“Quero que cresçam com um futuro promissor, que aproveitem o mundo como fizemos quando éramos jovens e possam olhar para a frente sem medo”, afirmou.

“Um único dia não muda tudo, mas temos que fazer todo o possível, e hoje isso é algo que podemos fazer”, apesar da tempestade, completou.

R7

Postado em 7 de novembro de 2021