Em um ano, Covid-19 matou mais do que AIDS em décadas

O número de brasileiros mortos pela Covid-19 desde março de 2020 ultrapassou o das vítimas fatais de AIDS em 23 anos. É o que apontam os dados do SIM (Sistema de Informação sobre Mortalidade), do Ministério da Saúde. Segundo o sistema, os óbitos por HIV só estão registrados a partir de 1996. De qualquer forma, era a maior causa de morte por doenças infectocontagiosas desde 1989.

No total de mortes registradas por HIV, estão todas aquelas causadas por infecções oportunistas, ou seja, que se instalam no organismo em consequência da baixa imunidade provocada pelo vírus.

Desde que começaram a ser contabilizados, os óbitos por AIDS no Brasil somam menos de 282 mil. Nesta terça-feira (30), o país totalizou 317.646 vidas perdidas pela pandemia do novo coronavírus.

Covid-19 é a doença que mais matou no Brasil em 2021

Segundo a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais, a Arpen Brasil, 337 mil pessoas morreram no país de janeiro a março. O número abrange as mais variadas causas, entre doenças, violência, acidentes de trânsito ou suicídio. Desse total, 29% foram de Covid-19, maior causa de mortes não apenas entre as enfermidades, mas de qualquer outra natureza.

Só nos três primeiros meses, já passamos a marca de 115 mil mortos pela doença em 2021. No ano passado, oficialmente, cerca de 197 mil pessoas tiveram laudo de morte com Covid-19.

Mais do que o triplo da média anual de mortes por infarto

Ainda de acordo com a Arpen, a maior causa de óbitos no Brasil, antes da pandemia, era por infarto no miocárdio, com média anual de 93 mil mortes. As mais de 300 mil vidas perdidas pela Covid-19 já superam em mais de três vezes esse número.

Os dados constam no Portal da Transparência da Arpen Brasil.

Fonte: Olhar Digital

Postado em 31 de março de 2021