Justiça autoriza quebra de sigilo de dados do cantor Belo

O artista foi preso, no último dia 17, durante a Operação “É o que Eu Mereço”. A polícia apura se houve infração de medida sanitária, crime de epidemia, invasão de prédio público e associação criminosa neste caso.

O pedido do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) tem como objetivo ter acesso às mensagens de texto, áudio, imagens, documentos e dados constantes dos equipamentos para investigar a participação de Belo e outros investigados.

Além do cantor, empresários responsáveis pela produtora do evento também são alvo da ação.

Belo foi solto após passar um dia preso por determinação do desembargador Milton Fernandes de Souza, do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro).

Na ocasião, a assessoria do artista declarou que estava surpresa com a prisão dele, já que havia falta de isonomia quando se tratava de apresentações artísticas durante a pandemia da covid-19, pela qual Belo teve a saúde acometida há três meses e a agenda cancelada integralmente há um ano.

Fonte: R7

Postado em 5 de março de 2021