Morre Paolo Rossi, ex-atacante italiano algoz do Brasil na Copa de 82

Eternamente associado à história da seleção brasileira por ter feito os três gols que eliminaram o Brasil da Copa de 82, o ex-atacante italiano Paolo Rossi morreu nesta quarta-feira, aos 64 anos. Segundo o jornal “Gazzetta dello Sport”, o ídolo da Azzurra foi vítima de um câncer de pulmão descoberto há pouco tempo.

Rossi morreu exatamente duas semanas depois de outro ícone do futebol mundial nos anos 80, o argentino Diego Maradona, campeão e principal nome da Copa do México, em 1986.

A notícia da morte de Paolo Rossi foi divulgada inicialmente pelo jornalista Enrico Varriale, da emissora de TV RAI, e posteriormente no site do jornal “Gazetta dello Sport” e outros veículos de imprensa do país. Rossi deixa a mulher Federica Cappelletti, com quem era casado desde 2010, e três filhos: Sofia Elena, Maria Vittoria e Alessandro.

O ex-jogador da Juventus foi campeão e artilheiro do Mundial da Espanha-1982, com seis gols. Até a segunda fase, ainda não tinha marcado nenhum, mas desencantou na vitória da Itália por 3 a 2 sobre a seleção dirigida por Telê Santana, que marcou época com craques como Zico, Falcão, Júnior e Sócrates.

O camisa 20 da Itália abriu o placar no antigo Estádio Sarriá, em Barcelona, aos cinco minutos de jogo, de cabeça. Sócrates empatou para o Brasil aos 12, mas Paolo Rossi voltou a marcar aos 25, aproveitando um erro de passe na defesa brasileira. A seleção de Telê jogava pelo empate para ir à semifinal, e Falcão igualou o placar aos 23 do segundo tempo, mas aos 29, o atacante italiano aproveitou um bate-rebate após um escanteio e completou na pequena área para fazer o gol que eliminou o Brasil do Mundial da Espanha e colocou a Itália no caminho do tricampeonato.

Depois, Rossi marcou os dois gols da vitória por 2 a 0 sobre a Polônia, na semifinal, e fez o primeiro da Itália no 3 a 1 sobre a Alemanha na decisão. Por sua atuações e gols na reta decisiva da competição, Rossi foi eleito o melhor jogador da Copa da Espanha. Também em 1982, recebeu a Bola de Ouro da revista “France Football”, então a mais prestigiosa premiação individual do futebol mundial.

Fonte: GE

Postado em 10 de dezembro de 2020