Taxa de desemprego atinge 14,3% na última semana de agosto, segundo a PNAD COVID-19

A taxa de desemprego no país passou de 13,2% para 14,3% no período compreendido entre a terceira e quarta semana de agosto, conforme os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios covid-19 (PNAD-COVID-19) divulgados, nesta sexta-feira (18), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

São 13,7 milhões de desempregados, 1,1 milhão de pessoas a mais nessa condição frente à semana anterior que apresentava 12,6 milhões. Esse mesmo indicador apontou que entre 3 a 9 de maio de 2020, quando foi iniciada essa pesquisa, existiam 9,8 milhões de pessoas desocupadas.

População ocupada

A pesquisa estimou em 82,2 milhões o quantitativo da população ocupada do país no mesmo período. Apresentando uma certa estabilidade em relação à semana anterior, quando o total era de 82,7 milhões de pessoas. Porém, houve uma queda em relação à semana de 3 a 9 de maio quando 83,9 milhões estavam ocupadas.

Desse total, 76,1 milhões não estavam afastados do trabalho. Na semana anterior, esse número era de 75,9 milhões e entre 3 e 9 de maio de 63,9 milhões.

Porém 8,3 milhões, ou seja, 10,9% da população ocupada e não afastada trabalhavam remotamente. Esse percentual é o mesmo verificado na semana anterior, mas apresenta queda ao ser relacionado com o mesmo dado de 3 a 9 de maio quando eram 8,6 milhões nessa condição.

Afastados devido a pandemia

No entanto, a PNAD COVID-19 constatou que cerca de 3,6 milhões, ou seja, 4,4% da população ocupada, estavam afastados do trabalho devido ao distanciamento social na quarta semana de agosto. Essa proporção ficou estatisticamente estável em relação à semana anterior (4,8%) e bem abaixo da primeira semana da pesquisa, de 3 a 9 de maio (19,8%).

Fonte: Portal da Tropical

Postado em 21 de setembro de 2020