Bebê encontrado morto às margens de rodovia do RN foi abandonado vivo, diz polícia; mãe é presa

O bebê com cerca de 15 dias encontrado morto na manhã desta terça-feira (25) às margens da BR-101, na região metropolitana de Natal, foi deixado no local ainda vivo, segundo afirmou o delegado Cidórgenton Pinheiro. A mãe da criança foi presa no município de Goianinha, e, de acordo com a polícia, confessou o crime.

De acordo com o delegado, a criança foi abandonada no sábado (22), por volta das 16h. Após identificar a mãe da criança, a Polícia Civil pediu a prisão temporária da mulher e, com o mandado expedido pela Justiça, a deteve em Goianinha, onde mora.

“Ouvida formalmente, a mãe confessou o crime e detalhou, dentro dos limites que foi possível, a motivação do crime e a execução. Infanticídio será apurado, mas só a perícia vai confirmar o puerpério. Infelizmente, a criança foi deixada com vida no local”, afirmou o delegado.

Cidórgeton conta que a mulher “não sabia o desdobramento desse abandono” e “foi surpreendida com a informação de que o bebê havia falecido”. “Durante 12 dias, entre o nascimento no dia 10 de agosto até o dia 22, ela e a criança permaneceram internadas porque ela teve complicações pós-parto. Ela caminhou pelas margens, mas aí resolveu abandonar a criança. Pediu um táxi e foi embora”, contou.

A motivação revelada durante o interrogatório, segundo a mulher, teria sido um “estágio de depressão muito agudo, muito acentuado”. A gravidez, de acordo com o delegado, também foi mantida em sigilo pela mulher.

“Houve um detalhamento quanto ao pai biológico da criança não aceitá-la e também ser um presidiário. Ela tinha o receio da rejeição de familiares e amigos. Durante toda a gestação, ela sofreu com esses sintomas, segundo ela. Ficou enclausurada, ninguém descobriu a gravidez dela. As únicas pessoas que sabiam eram ela e a filha pequena de 3 anos. Foi uma surpresa para todos os familiares e isso a gente pôde constatar quando foi fazer a prisão”, falou Cidorgeton.

Fonte: G1 RN

Postado em 26 de agosto de 2020