Nova estátua de Iemanjá é criticada nas redes sociais: “Travecão ou um drag queen”

A nova estátua de Iemanjá, localizada na Praia do Meio, na Zona Leste de Natal, tem recebido críticas nas redes sociais. Natalenses opinam que a escultura ficou esteticamente “feia”, em comparação com a antiga estátua, que foi retirada do mesmo local no ano passado após vários episódios de depredação.

A escultura foi entregue pela Prefeitura do Natal no último domingo (2), quando foi celebrado o Dia de Iemanjá. Segundo a gestão municipal, a nova estátua tem 3,5 metros de altura, pesa 4 toneladas e é mais reforçada do que a anterior. O motivo da substituição foi dificultar a ação de vândalos que, por intolerância religiosa, danificavam o antigo patrimônio.

Para aumentar a segurança, além de trocar a estátua, a Prefeitura instalou câmeras no local, para flagrar eventuais atos de intolerância contra a imagem.

Iemanjá é reverenciada por cultos afrodescendentes, especialmente o candomblé e a umbanda, mas é cultuada por pessoas de diferentes crenças como a “rainha do mar”. A imagem que está instalada na Praia do Meio é, segundo a Prefeitura, a maior já confeccionada no Rio Grande do Norte.

Pelas redes sociais, a principal queixa é com relação ao rosto de Iemanjá, que foi retratado na escultura pelo artista Emanoel Câmara. Uma usuária chegou a escrever no Facebook que a nova versão da estátua ficou “muito feia” e que a mulher retratada na escultura lembrou um “travecão” ou um drag queen.

O nome dessa usuária, assim como dos demais internautas citados, será preservado.

Outra internauta opinou que a nova estátua é “inexpressiva”. “Não sei se o artista que criou a atual Iemanjá tinha muita ou pouca liberdade artística, mas parece que seu trabalho arrasou a aura de majestosidade que a primeira Iemanjá arduamente ainda sustentava”, escreveu a usuária, também no Facebook.

A nova Iemanjá retratada tem pele branca, o que também gerou insatisfação. “Lamentável”, opinou uma seguidora da página oficial da Prefeitura do Natal no Facebook.

Ainda na página da Prefeitura, outros usuários também criticaram a escultura. “A antiga era bem mais bonita que essa”, “Achei um pouco estranha”, “Só tem cabeça” e “ficou pobre e horrível” foram apenas alguns dos comentários deixados na publicação.

Houve divisão de opiniões quanto à adoração da imagem de Iemanjá. Enquanto alguns seguidores escreveram que ela é a “rainha do mar” e que a escultura pode dar proteção para a cidade, sobretudo os navegantes e banhistas da praia, outros usuários disseram que a divindade não é digna de adoração.

“A falta de conhecimento da palavra de Deus faz o homem adorar até as pedras, que nada fazem”, afirmou um internauta. Que foi retrucado por outra usuária: “Respeitem a liberdade religiosa das pessoas. Por que os cristãos podem ter estátuas de Jesus Cristo e o povo de candomblé e umbanda não pode ter dos orixás?”.

A nova estátua de Iemanjá foi esculpida em pedra calcária durante três meses e substituiu a antiga imagem, que estava na Praia do Meio havia 21 anos. O trabalho custou R$ 18 mil.

O escultor Emanoel Câmara possui vários trabalhos em Natal. É dele, por exemplo, a escultura do Pescador da Redinha, os Reis Magos do Memorial de Natal no Parque da Cidade, a Nossa Senhora da Apresentação na Pedra do Rosário, os negros do Rosário no pátio da Igreja do Rosário na Cidade Alta e a escultura de uma mulher com obelisco na Escola Doméstica de Natal.

Fonte: Agora RN

Postado em 5 de fevereiro de 2020