Promotora investiga deputados estaduais do MDB, DEM e PSL

A promotora de Defesa do Patrimônio Público Patrícia Nunes Martins abriu uma investigação contra deputados estaduais por “supostas irregularidades em gastos com combustíveis”. Os inquéritos civis têm até agora como investigados os parlamentares Nélter Queiroz (MDB), Hermano Morais (MDB), José Adécio (DEM) e Cristiane Dantas (PSL).

A investigação compreende os anos de 2015 a 2018 e sua base legal faz referência a improbidade administrativa. De acordo com a assessoria do Ministério Público, não há outras informações a passar, pois os inquéritos civis foram instaurados semana passada. As portarias que tornaram as investigações oficiais foram publicadas na sexta-feira (20), no sábado (21) e nesta terça-feira (24).

De acordo com levantamento feito junto ao portal da Transparência da Assembleia Legislativa, o gabinete do deputado Nélter Queiroz gastou com combustíveis, de janeiro a maio de 2018, um total de R$ 22.510,02. O gabinete de Hermano Morais, pelo mesmo período, usou R$ 21.521,00. Já os gabinetes de José Adécio e Cristiane Dantas gastaram R$ 18.806,81 e 17.910,54, respectivamente.

De acordo com esses totais, se todos esses recursos tiverem sido aplicados apenas em combustível, o gabinete de Nélter Queiroz adquiriu em cinco meses o equivalente a 6.566,51 litros de óleo diesel comum. Em geral os veículos dos deputados usam esse tipo de combustível. Esse valor leva em consideração a média do preço do litro para o óleo diesel comum (R$ 3,428) de acordo a mais recente pesquisa do Procon de Natal. Importante ressaltar que Em geral, os gabinetes têm mais de um veículo à disposição.

Já o gabinete de Hermano Morais teria adquirido 6.278 litros, enquanto o de José Adécio teria obtido 5.486,23 litros. Já o gabinete da deputada Cristiane Dantas teria adquirido 5224,77 litros de óleo diesel. Levando em conta que um carro médio pode fazer de 25 a 30 quilômetros com um litro de diesel, cada deputado investigado poderia rodar, em média, nesses cinco meses um total de 91.653,7 quilômetros por mês.

Para dar uma ideia do que representa essa distância, basta citar que do litoral de Touros, no Rio Grande do Norte ao litoral de Vila do Bispo, em Portugal, a distância é de 5.486 quilômetros. Ou seja, hipoteticamente, se houvesse uma estrada, os deputados poderiam fazer essa distância pelo menos 16 vezes por mês, em média.

Há uma outra forma de demonstrar esses gastos que serão analisados nessa investigação contra deputados. De janeiro até o dia 31 de maio transcorreram 151 dias este ano. Com base nesse dado, o gabinete parlamentar do deputado Nélter Queiroz gastou com combustíveis e lubrificantes um total de R$ 149,07 por dia; o gabinete de Hermano Morais gastou R$ 142,52; de José Adécio R$ 124,54 e o de Cristiane Dantas R$ 118,61.

Caso esse dinheiro fosse todo usado apenas para combustível (excluindo gastos com (lubrificantes), esses gastos equivalem a 43,4 litros de diesel por dia para o gabinete de Nélter Queiroz; 41,5 litros para Hermano Morais; 36,3 litros para José Adécio e Cristiane Dantas 34,60 litros. Com esses totais, seria possível rodar por dia, em média, 973,5 quilômetros.

Fonte: OP9

Postado em 24 de julho de 2018