Homem é preso com 25 mil carteiras de cigarro contrabandeado

A Polícia Militar prendeu nesta terça-feira (17) um homem suspeito de contrabandear cigarros na cidade de Santa Cruz, a 117 quilômetros de Natal. Foram apreendidas com ele 51 caixas de cigarro. Cada caixa tinha 50 pacotes; cada pacote vem com 10 carteiras, o que resulta em 25.500 carteiras de cigarro contrabandeado.

O suspeito, Cláudio Roberto Martins da Silva, 40 anos, foi encaminhado à Polícia Federal, para ser autuado em flagrante. De acordo com informações do comandante 4º batalhão de Polícia Militar em Santa Cruz, major Valber Moura, o homem já era suspeito de contrabando há algum tempo. Com base nisso, a polícia resolveu montar uma campana próxima à residência dele. Na noite de segunda-feira, Cláudio Roberto Martins da Silva chegou na sua casa e entrou com os pacotes do produto.

Pela manhã, como teria feito em outras ocasiões, ele saiu para distribuir o cigarro contrabandeado. Foi então que os policiais abordaram o comerciante e encontraram uma parte da carga de cigarros. Após isso, eles se dirigiram à casa de Cláudio da Silva e encontraram o restante das caixas de cigarro.

Após isso ele foi encaminhado à Polícia Federal. Isso ocorre porque o produto vem de outro país, o que torna o contrabando um crime federal.  Em geral, nesses casos, os cigarros são encaminhados à Receita Federal e os envolvidos respondem pelo crime de contrabando. Se condenado, o suspeito poderá cumprir pena de até 5 anos de reclusão.

De acordo com o Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP), em 2017, a venda de produtos contrabandeados no Brasil trouxe prejuízos de R$ 146 bilhões ao país. Esse dado é a soma dos prejuízos registrados às empresas brasileiras e a estimativa de evasão de impostos causada pelo mercado ilegal. Em 2014, este valor era de R$ 100 bilhões, número que saltou para R$ 115 bilhões em 2015 e R$ 130 bilhões em 2016.

Os cigarros são o principal principal produto contrabandeado no País. Ano passado esse comércio ilegal atingiu 48% de todo o mercado nacional do produto. Por conta disso, o Brasil se tornou o maior mercado global de cigarros ilegais.

Fonte: OP9

Postado em 18 de julho de 2018